terça-feira, 12 de março de 2013

Lembrancinhas de Páscoa

Oi mamães...

 Você pode decorar sua mesa , olha que lindas essas lembrancinhas!!!





Caixinha de  Páscoa













http://supersimpleslu.blogspot.com.br/2011_04_01_archive.html

sábado, 9 de março de 2013

Sacolinhas de Páscoa

 Oi pessoal

Se você for professor de educação infantil e tiver uma turma grande, não fica muito barato fazer essas lembrancinhas, né? Então faça essa linda cestinha com caixinha de leite e E.V.A. O custo dessa lembrancinha é mínimo e são bem fácil de fazer. Acompanhe o passo a passo:





Materiais:


caixinha de leite ou de suco, E.V.A nas cores verde, rosa, branco, laranja, cola instantânea (ou cola quente), tesoura, giz pastel oleoso (opcional), caneta permanente preta, blush (maquiagem) e palito de churrasco para riscar o molde.




Separe as caixinhas de leite, corte ao meio com a tesoura e lave bem com água e detergente. Recorte uma tira de EVA verde, no tamanho suficiente para cobrir toda a caixinha e cole com cola quente ou cola instantânea. Quem tiver tesoura de picote pode usar para recortar a borda do E.V.A.





Recorte no E.V.A uma tira de 4x30cm para fazer a alça da cestinha, novamente use cola instantânea para colar.



 Para fazer o coelhinho, passe o molde dele para o E.V.A usando uma palito de churrasco para não manchar o E.V.A. Recorte com a tesoura, faça o sombreado em cada parte do coelhinho, usando o giz pastel oleoso. Você pode substituir o giz pastel por tinta PVA, só nesse caso tem fazer o efeito sombreado com pincel chanfrado.
Após ter feito o sombreado, cole as partes coelhinho com cola instantânea. Para fazer os olhos e a boca use a caneta permanente preta. Passe bhush de maquiagem nas bochechas. O brilho nos olhos e nas bochechas são feitos com tinta PVA branca, para fazer esse processo, utilize o pinta bolinhas ou a ponta do palito de churrasco.



Repita o mesmo processo do coelhinho para montar a cenourinhas. Para esta lembrancinha, você faz três cenourinhas, uma para o coelhinho ficar segurando e as outras duas fica coladas na lateral da cestinha. Veja o detalhe na figura abaixo. Dentro dessa cestinha você pode colocar bombons e chocolates.




http://www.painelcriativo.com.br/2013/02/27/como-fazer-lembrancinha-para-pascoa/


Caixinhas de Páscoa

Oi galerinha 

Faltam poucos dias para a Páscoa, e além de comemorar a Ressurreição de Cristo, celebramos o momento de presentear as pessoas que amamos com chocolate não é isso? 

Então vamos fazer essa linda caixinha de Páscoa????


Passo a Passo:


Materiais utilizados:

Caixinha de leite ou de suco
tinta PVA branca, azul e rosa,
EVA branco e estampado, cola quente.
Saquinho com guloseimas para colocar dentro da caixinha..





Primeiro passo:

Separe as caixinha de leite, corte ao meio e lave bem. Passe uma demão de tinta PVA branca e espere secar.




Segundo passo:

Em seguida passe duas demão de tinta azul ou rosa na caixinha aguarde secagem entre uma demão e outra. Você pode fazer uma metade azul e a outra metade rosa, pois assim terá uma caixinha para menino e outra para menina

  




Terceiro passo:

Faça um carimbo com retalhos de EVA em forma de patinha  de coelho, e utilize a tinta branca para carimbar toda a lateral da caixinha. 






Quarto passo:

Utilize os moldes para riscar o coelho no EVA, utilize a cor branca e uma cor estampada para fazer uma composição diferenciada. 




 Quinto passo:

Com a cola quente cole o EVA estampado no EVA branco, e com pincel atômico faça os detalhes dos olhos e da boquinha do coelho, com o lápis de cor faça um efeito de blush nas bochechas do coelho e se quiser contorne bem de leve as patinhas, as orelhas e o rosto do coelho.




Sexto passo:

Depois de todo pronto o coelhinho, utilize novamente a cola quente e cole ele em uma das laterais da caixinha.





Prontinho agora e só aproveitar, as delicias e boa páscoa!!!


http://madeinbrazilarteartesanato.blogspot.com.br/2012/04/passo-passo.html




sexta-feira, 8 de março de 2013

Latas decoradas

Que tal essas lindas latas decoradas?
Faça você mesmo, você pode dar para uma mulher especial no dia Internacional da mulher!!! Aproveite e também parabenize sua mamãe que seu dia também esta chegando 







Essa foi feita por mim!! Me presentei !!!!KK


http://mulhervirtuosayahoo.blogspot.com.br/2013/02/latas-decoradas.html#.UTpLKdbqlx0

Sitio do Pica pau Amarelo

Oi gente!!


Para dia do livro Dicas e Truques, trouxe pra vocês o sitio do pica-pau amarelo para colorir!!!!
Vamos recordar nossa infância!!
Chame as crianças e vamos relembrar nossa infância, aproveite para pintar e ensinar os filhotes a pintar também!!! 









Dia do Livro

Dia 18 de abril é o Dia Mundial do Livro.

Não dá para falar em dia do livro sem lembrar de Monteiro Lobato e sua importância, Já que o dia do livro infantil, é uma homenagem a este grande escritor.

Ele deixou muitas obras além do Sítio do pica pau Amarelo, mas esta é com certeza, a preferida da criançada.

Vamos relembrar alguns momentos muito legais que vivemos em nossa infancia juntamente com alguns personagens!!!









quinta-feira, 7 de março de 2013

Recém -nascido 10 cuidados especiais



O nascimento do primeiro filho gera ansiedade dúvidas: por que ele não para de chorar? O que fazer para aliviar as cólicas? Qual o jeito certo de segurá-lo? Descubra



1. Por que o recém-nascido chora tanto?

O bebê chora porque quer alguma coisa. Os motivos variam: fome, fralda suja, frio, calor, posição desconfortável, incômodo, irritação por barulho ou luz, estresse diante da movimentação de adultos e por aí vai. É claro que, às vezes, o cansaço e a falta de sono podem fazê-lo perder a paciência. Mas lembre: essa é a única forma de expressão do pequeno. Se você perceber que está irritada demais, peça ajuda a alguém, tente sentar, respirar fundo e se acalmar. Tudo vai dar certo. Mesmo porque, a partir dos quatro meses, a tendência é que o pequeno chore menos.

2. O que posso fazer para aliviar as cólicas?

A cólica é um fantasma que habita o inconsciente coletivo das mães, já que ela realmente pode tornar a vida dos pais um tanto angustiante nas primeiras semanas de vida da criança. Mas não perca as estribeiras. As cólicas são normais. Fazem parte do amadurecimento natural do sistema digestivo do pequeno. E não adianta medicar ou dar produtos naturais. Isso pode ser até perigoso, causando intoxicações. O melhor remédio é o leite materno. Aquecer a barriga, aconchegar o bebê e deixá-lo na posição fetal também são medidas que ajudam a contornar a situação. Agora, é preciso saber se a cólica é mesmo o motivo da choradeira. A confusão é bastante comum. Choro de cólica é aquele mais intenso, que começa e termina de forma repentina.

3. Posso dar água ou chá para meu bebê?

De preferência, não. O leite materno nutre, hidrata e acalma, suprindo todas as necessidades da criança. Quando a mãe dá chá ou água, o pequeno deixa de tomar o leite materno e ingere quantidades menores de proteínas e calorias necessárias para o seu desenvolvimento. Sem falar que a maioria dos chás contém estimulantes que deixam o bebê agitado. Se forem servidos com açúcar, pior ainda. Os grãos podem fermentar e causar cólicas. Além disso, há o risco da chamada confusão de bicos, que faz com que a criança largue o peito da mãe sem necessidade e adote a mamadeira.

4. Qual o jeito certo de segurá-lo?

É normal: carregar um recém-nascido dá aflição. Até mesmo para a mãe. Afinal, segurar no colo alguém tão pequenino e flexível requer bastante cuidado – mas nada que você não tire de letra nos primeiros dias. Como a musculatura do pescoço é pouco desenvolvida, é preciso apoiar bem a cabeça e as costas do bebê. A melhor maneira de fazer isso é encaixar a cabeça na dobra do cotovelo e as costas no antebraço. Importante: nunca faça movimentos bruscos e preste atenção para não pressionar demais, ou bater, a parte superior da cabeça da criança, também chamada moleira, já que os ossos do crânio ainda não estão totalmente formados.

5. Qual o melhor horário para dar o banho?

Não existe regra. Em geral, as mães preferem dar à noite para acalmar a criança antes do sono, além de contar com a ajuda do marido. Mas o critério é pessoal. Pode ser em qualquer horário. O mais importante é verificar a temperatura da água com a parte sensível do seu braço, ou com o punho. Se estiver morna, coloque o bebê ali sem receio. Não há necessidade de termômetro. Mas, caso queira usá-lo, veja se marca algo entre 36 e 37 ºC. Ao entrar na água, ele chora? Não se culpe por isso. É normal esse tipo de coisa acontecer. Os pequenos se assustam nessa hora por insegurança. Para contornar a situação, enrole-o em uma fralda de pano em posição fetal. Isso lhe trará o conforto e a segurança de que tanto necessita. Depois, vá soltando a criança ao poucos, até ela se acostumar.

6. Em que posição devo colocá-lo para dormir?

De barriga para cima, e sem neura. Os estudos mais recentes mostram isso. Fique tranquila se o leite voltar. Seu pequeno terá reflexos para se defender. Ainda assim, é muito importante só deitá-lo depois de arrotar. Se a criança regurgita demais, é possível usar suportes triangulares para mantê-la deitada de lado, sempre com travesseiro do tipo antissufocamento. Em caso de refluxo, além do acompanhamento médico, procure inclinar a base do berço o máximo que der. Só não passe dos 45 graus.

7. É normal fazer cocô muitas vezes num único dia?

No começo, o bebê evacua a cada mamada. Como ele só se alimenta de leite, é absolutamente normal que as fezes sejam pastosas. Em alguns casos, podem até ser líquidas com gruminhos. Por isso, não precisa se preocupar: ele não está com diarreia. A cor também é bastante característica: amarelo-ouro.

8. Tudo bem se ele ficar muitos dias sem fazer cocô?

O recém-nascido pode ficar até dois dias sem evacuar. Isso não é comum, principalmente em crianças que mamam no peito, mas pode acontecer. Uma dica é estimular o ânus do bebê com uma gaze enrolada no dedo. Em geral, só de tocar superficialmente a região, o pequeno já consegue fazer cocô. Se o problema persistir, procure um pediatra.

9. O bebê precisa arrotar toda vez que mama?

Ele não precisa necessariamente arrotar, mas o ritual do colo é fundamental e tem de ser repetido depois de cada mamada. Deixe a criança em posição vertical deitada de barriga sobre seu tórax e dê tapinhas muito sutis nas costas. Ela deve arrotar logo. Agora, se não ouvir a eructação (sim, esse é o nome) após 15 minutos, pode deitá-la sem medo. O arroto é importante porque o bebê engole ar enquanto suga o leite e precisa colocá-lo para fora. Caso contrário, vai ficar incomodado e até regurgitar.

10. Posso sair pra passear com ele?

Sim, desde que siga algumas regras básicas. A primeira delas, muitas vezes esquecida, é colocar a criança sempre na cadeirinha própria para transporte em automóveis. Outra: fuja de locais fechados e aglomerações, mesmo que seja na casa dos avôs. Um simples resfriado pode ter consequências mais sérias em um recém-nascido. O frio e o vento também podem ser bastante nocivos para o bebê. Procure agasalhar principalmente a cabeça dele. Mas sem exageros. Calor demais faz mal.

http://bebe.abril.com.br/materia/recem-nascido-18-cuidados-essenciais

O que um bebê de um mês consegue fazer?

Criança feliz, resolveu falar para mamães de primeira viagem , vamos lá queridas temos muito aprender!!!Boa sorte minhas lindas.

No primeiro mês de vida, já é possível perceber a evolução motora, psíquica e o equilíbrio emocional do bebê. Ele já não é mais tão mole e passivo como o recém-nascido.




Nessa fase, já pode distinguir o claro e o escuro, pára de chorar quando vê algum objeto interessante na sua frente, fica satisfeito durante o banho, segura o dedo da mãe, se aquieta no colo, o sono já começa a ser um pouquinho mais constante, começa a ficar deitado de lado no berço, e ainda dorme o dia todo.
A postura característica do bebê de um mês é com os membros flexionados, mãos fechadas e a cabeça oscilante, ou seja, tende a cair para trás quando pegamos no colo. Se o bebê é deitado de bruços, consegue ajeitar sua cabeça para poder respirar.
Sua evolução motora pode ser percebida no interesse que releva por objetos brilhantes e por fisionomias humanas. Quando concentra sua atenção, os movimentos de braços e pernas param um pouco. Sua visão só é boa de perto, ainda falta acomodação visual. Ele enxerga os rostos como grandes manchas. Mesmo assim, já consegue reconhecer sua mãe, especialmente através do cheiro e da voz. Ele começa a demonstrar seu comportamento emocional fixando o olhar na mãe em busca de segurança.
Com um mês de vida o bebê já está mais adaptado à vida fora da barriga. Ele começa a entrar no ritmo da casa, se habituar aos ruídos externos, aos horários, às pessoas, e reage negativamente às mudanças bruscas.
Com alguns pequenos testes os pais vão notar sinais do desenvolvimento da inteligência do bebê nesse primeiro mês.
- O primeiro teste mostra que o bebê agarra o que alcança: coloque o dedo na palma da mão aberta do bebê. Rapidamente, ele vai fechar a mão agarrando o dedo.
- O segundo teste mostra que o bebê se acalma com vozes suaves e conhecidas. Se a mãe canta para o filho quando ele está chorando, o bebê se tranqüiliza e muitas vezes para de chorar.
O próprio esforço do bebê para apanhar o bico do seio para mamar é uma grande prova de inteligência. Se o bebê está mamando e o bico sai da sua boca, rapidamente ele move a cabeça, com a boca aberta, para tentar abocanhar novamente.

http://www.desenvolvimentodobebe.com.br/o-que-um-bebe-de-um-mes-consegue-fazer/

Alergia ao leite materno e da vaca




Muitas mamães não devem entender como pode uma criança ter alergia ao leite. Tenham calma. A alergia não é ao leite materno, e sim à proteína encontrada principalmente no leite de vaca.

Um bebê alérgico à proteína do leite de vaca e que está em aleitamento materno exclusivo pode apresentar sintomas de alergia caso a mãe se alimente de leite de vaca e seus derivados.
O motivo é simples: a proteína alergênica passa para o leite materno e chega até o bebê causando alergia. Basta a mamãe evitar esse tipo de alimentação que a alergia do bebê passará.
Esse tipo de alergia ocorre em 2 a 5% das crianças e normalmente inicia-se após o desmame. Com o tempo, o sistema imunológico desenvolve tolerância à proteína do leite.
Ao fim do primeiro ano, 50% das crianças não apresentam mais alergia, 75% aos dois anos e próximo a 90% com 3 anos de idade. As crianças que ficam alérgicas após os três anos de vida têm a tendência de ficar alérgica por mais tempo.
As causas da alergia à proteína do leite de vaca são predisposição genética (quem tem histórico de alergia na família é mais vulnerável a ter também), introdução precoce de alimentos alergênicos, como leite de vaca e ovo, sem que o sistema digestivo do bebê esteja preparado para recebê-los. Os bebês têm o sistema imunológico imaturo e dependem muito dos anticorpos do leite da mãe.
Como combater a alergia - A amamentação exclusiva até os seis meses de vida do bebê prepara o bebê para receber os novos alimentos. É o período que o sistema digestivo amadurece e o sistema imunológico recebe os anticorpos da mamãe, já produzindo a própria defesa também.
Os sintomas são diversos e por isso o diagnóstico da alergia é tão difícil. Ocorrem reações no sistema gastrointestinal (cólica, vômitos, diarréia), na pele, como vermelhidão e coceira, no sistema respiratório (espirro, tosse, nariz escorrendo), irritabilidade, infecção no ouvido, choque anafilático, entre outros.
Os sintomas podem ocorrer imediatamente ou até várias horas ou dias após a ingestão do leite. Quanto mais rápida é a reação, mais fácil de fechar o diagnóstico.
O tratamento da alergia consiste em retirar da alimentação a proteína causadora da reação. Em bebês não se pode “experimentar” alimentos substitutos que podem não causar a alergia. O ideal é ir direto para fórmulas que contenham proteínas hidrolizadas recomendada pelo médico. Essas fórmulas têm um custo elevado, mas com grande probabilidade de resolver o problema.
Já em crianças maiores de dois anos, pode-se introduzir alguns alimentos substitutos do leite de vaca, entre os quais o leite de soja.
Existem alguns testes que são realizados para diagnosticar a alergia, como a supressão do alimento - retira-se o leite da alimentação, depois que os sintomas melhorarem reintroduz o alimento e verifica se os sintomas reaparecem. Caso isso aconteça, a alergia está diagnosticada. Há os testes de pele e de sangue.
Se houver necessidade de retirada do leite da alimentação da criança, procure orientação médica e nutricional para que o leite seja substituído por outros alimentos que sejam fonte de cálcio e vitaminas encontrados no leite de vaca.
Dicas
Amamente seu bebê exclusivamente até os seis meses de vida. Mamãe que se alimenta de derivados do leite da vaca, podem “passar” a alergia ao filho no leite materno.
Caso o desmame seja necessário, faça-o sempre com orientação médica.
Alergia ao leite de vaca não é o mesmo que intolerância à lactose. Intolerância é causada pela falta de enzima no intestino que digere o açúcar do leite, isto é, a lactose.
Bruno Rodrigues

http://guiadobebe.uol.com.br/alergia-ao-leite-materno-e-da-vaca/

quarta-feira, 6 de março de 2013

Crianças que falam errado: o que fazer?



Muita gente acha graça quando ouve uma criança falando errado. Na maioria das vezes, pronunciar as palavras de maneira errônea, sem um "L" ou um "R", faz parte do desenvolvimento normal de meninos e meninas. Mas, se trocas e omissões de sons permanecem depois dos 3 anos, isso pode se tornar um problema no futuro ou até mesmo indicar uma doença mais grave.
O pior é que grande parte dos pediatras, especialistas a quem recorrem pais e mães nos primeiros anos de vida dos filhos, muitas vezes não repara a tempo naqueles sinais capazes de denunciar alterações na fala. É o que constatou uma pesquisa realizada na Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB-USP), no interior paulista. O estudo ouviu 79 pediatras com mais de um ano de experiência clínica nos estados de São Paulo e Minas Gerais. "Várias famílias atendidas por nós suspeitavam que a criança tinha alguma disfunção, mas o pediatra não deu atenção à queixa", explica a fonoaudióloga Luciana Maximino, uma das autoras do trabalho.
Entre os riscos da demora em identificar problemas na comunicação infantil está, além do óbvio atraso para encontrar uma solução, a possibilidade de passar despercebido um caso de surdez ou outros transtornos globais, como autismo. "Não existe marcador claro para dizer se a criança se encaixa ou não em um desses casos. Tudo é sintoma", diz Luciana. Assim, quanto mais precoce o diagnóstico, melhor. "A alfabetização vai ser mais fácil, a adaptação com aparelhos auditivos pode ser melhor e a quantidade de sessões de terapia, menor", exemplifica a fonoaudióloga.
Em defesa de seus colegas pediatras, Ana Maria Escobar, de São Paulo, diz que o tempo de uma consulta é curto demais para flagrar problemas de fala. "Um atendimento pediátrico é diferente de um especializado", afirma. "Temos que avaliar o coração, o abdômen, o fígado e o baço, checar o ouvido e a garganta, verificar o tônus muscular e possíveis transtornos neurológicos", enumera Ana. Além disso, na presença do médico, muitos garotos e garotas ficam intimidados. E mudos.
Por isso é importante que os pais levem dúvidas e alertas para o consultório, sem esperar, em silêncio, que o próprio especialista note algo diferente na hora do exame. E, claro, para que apresentem informações pertinentes, devem permanecer atentos. "A mãe e o pai precisam observar as habilidades do filho para imitar movimentos e sons da fala, mostrar objetos e compreender ordens simples, como bater palma", indica a fonoaudióloga Jacy Pericinoto, de São Paulo.
Um erro é fatal: comunicar-se de uma maneira infantilizada com a garotada, o que só atrapalha. Afinal, os pequenos repetem o que ouvem. É a fala do adulto, mais evoluída, que permite que a aquisição da linguagem progrida. "Conversar com a criança, e não por ela, é a primeira atitude que os pais devem tomar", ensina a fonoaudióloga Fernanda Dreux Fernandes.
Quando há um problema, o tratamento geralmente consiste em terapia fonoaudiológica, que se vale de brinquedos para facilitar o contato com o especialista da área, e aconselhamento familiar - afinal, em casa, todos devem colaborar. A duração varia conforme o caso. E, enquanto o tratamento dura, correções e broncas nunca são bem-vindas. Se a criança gagueja e é repreendida, as palavras vão sair cada vez mais aos tropeços ou, por medo de errar, o silêncio infantil será a norma. Repetir o certo basta. Cuidar dos ouvidos, e de possíveis infecções, também está relacionado ao desenvolvimento adequado da linguagem. Afinal, para falar, a gente precisa ouvir bem.



Veja quais são os problemas mais comuns na fase inicial do desenvolvimento da fala:

A demora


As primeiras palavras costumam soar entre 1 ano e 1 ano e meio. As primeiras frases, geralmente bem curtas, aos 2. É bom ficar atento se a criança foge desse padrão ou, ainda, se ela começa a falar e depois para, sem continuar evoluindo.
Trocar sons
A criança fala tudo, mas troca alguns fonemas. Até os 3 anos, isso é esperado. Mas, se depois dessa idade ela continuar substituindo o ele pelo erre, por exemplo, o ideal é levá-la ao médico.
Gagueira
O pequeno pode receber uma grande descarga de neurotransmissores, moléculas que podem demandar tempo para ser equalizadas pelo cérebro. É por isso que às vezes gagueja enquanto procura o termo certo.
Língua presa
Até os 4 anos, é normal. A boca ainda cresce um pouco e o nascimento dos primeiros dentes definitivos cria espaço para a língua se acomodar. Mas é interessante se certificar de que não se trata de uma adenoide grande demais ou um problema na arcada. 
http://mdemulher.abril.com.br/familia/reportagem/filhos/criancas-falam-errado-fazer-636654.shtml

Lanchinhus Divertidos

 Oi mamães!!!

Seus  problemas acabaram...
A seguir algumas soluções, que farão seus pimpolhos lamberem o prato.


Lindos coqueiros feitos de kiwi, banana e tangerina...



Picolé de melancia




Passo a passo de como fazer um ovinho em forma de coração!



Lanchinhos

Oi mamães...

Trouxemos 2 ideias para as mamães decorarem os pães de forma! Que criança não vai querer devorar isto????Que Delíciaaaaaaaaaaaaaa...







Centopeia de Tomate

Oi mamães..

A hora do lanche pode ser a hora mais feliz... e saudável! Seu pimpolho vai comer tudo sem reclamar!!! 






Vai precisar:

Pão de forma 
Presunto 
Mussarela 
Maionese 
Tomate não muito grande 
Pepino 
Cebola 
Pimentão vermelho 
Palitos de madeiras(aqueles de churrasquinhos) 
Palitos de dente 

Modo de preparo :



Corte os pão de forma, presunto e a mussarela com cortadores de bolos redondos ou se você não tiver corte com copo de alumínio.Passe a maionese mais passe pouca só para fixar o ingredientes no pão ai vai colocando no palito de churrasco para ir formando o corpo depois de formado coloque no tomate ai você vai fazer a cabeça o pepino vai fazer as antenas e as patinhas conforme a foto os olhinhos e a boca é feita de cebola a boca faça um corte no tomate conforme a boca e corte a cebola também conforme uma boca ai encaixe no tomate os olhinhos corte redondos e espete na metade do palito de dente e corte o pimentão redondinho bem pequenos e coloque na pontinha do palito de dente. 

Agora está formada sua centopeia .